Reflexões

" Viver é a melhor coisa que se pode vivenciar.
Principalmente quando conhecemos a Cristo e fazemos a sua vontade. "

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Como montar uma Ong


Como abrir uma ONG, passo a passo

1 - Defina os objetivos e área de atuação da sua ONG; 2 - Junte pessoas para fazer parte dela; 3 - Elabore um Estatuto; 4 - Realize uma Assembléia Constitutiva. Não há exigência de número mínimo (ou máximo) de pessoas presentes nesta Assembléia. A única coisa necessária é que existam pessoas suficientes para ocupar todos os cargos criados no Estatuto. 5 - A Assembléia deve ser iniciada com um Secretário e um Presidente de mesa, nomeados na hora. Eles assinarão a ata da Assembléia. 6 - A Assembléia tem início com a apresentação do Estatuto. O mesmo deve ser discutido e aprovado. Caso surjam propostas de emendas a ele, elas devem ser votadas e incluídas, caso aprovadas, antes da aprovação final do Estatuto. 7 - Após aprovado o Estatuto, elege-se o Conselho Diretor da ONG (na mesma Assembléia). 8 - Após a eleição, todos os presentes na Assembléia Constitutiva devem, necessariamente, assinar uma lista de presença, onde devem constar o nome completo e o CPF de todos. 9 - Após isso ser feito, a mesa da Assembléia pode então encerrar as atividades. Feito isso, ela deve escrever a Ata da Assembléia Constitutiva, onde devem ser descritas todas as atividades realizadas na Assembléia. Deve também preparar uma lista contendo a relação dos nomes eleitos para o Conselho Diretor. Estes documentos devem ser arquivados, junto com a lista de presença e o Estatuto votado.10 - Feito isso, o Conselho Diretor deve elaborar um documento a ser entregue a um cartório de registros de pessoas jurídicas, onde constam o nome, endereço, RG e CPF dos membros fundadores.11 - Após esta elaboração, o estatuto aprovado deverá ser levado para revisão e assinatura de um advogado oficialmente reconhecido. Após esta revisão, o Presidente do Conselho Diretor deve assinar também o Estatuto.12 - Feito isso, o Estatuto, a ata da Assembléia Constitutiva, a lista de membros fundadores, a lista de presença da Assembléia, a lista de componentes do Conselho Diretor e um requerimento de registro de associação civil devem ser levados ao cartório de registro de pessoas jurídicas. 13 - Deve ser estabelecido um local para ser a sede da ONG (não pode ser a casa de alguém, tem que ser uma sede própria e destinada somente para este fim). 14 - Realizado o registro e estabelecida a sede da ONG, um contador deve ser oficialmente contratado. Ele se encarregará do registro de Pessoa Jurídica junto à Receita Federal, que dará um CNPJ e a declaração de insenção de imposto de renda à ONG, o que torna a mesma, por fim, existente e legalmente constituída.

Dica Importante: Por tratar-se de organização sem fins lucrativos e de relevância social, poderá ser solicitado ao Juiz ou Juíza da comarca do seu município, as despensas de custas(Justiça Gratuita), referente as taxas cobradas. A juíza emitirá parecer que autorizará a isenção das despesas.
Fonte: Alysson Andrade





Video Superação

video

Terrorismo...Fotos de mulheres queimadas com acido


Terrorismo Ácido


Os rostos destas mulheres foram mutilados com ácido, e este é o trabalho de imbecis que se acham homens.

Esta é a estranha forma de resolver os problemas (ou apenas vingança) no Paquistão.


“Terrorismo Ácido” contra mulheres

Irum Saeed, 30, posa para uma fotografia em seu escritório na Universidade Urdu de Islamabad, Paquistão. Irum foi queimada no rosto, costas e ombros há doze anos, quando um rapaz de quem ela rejeitou o pedido de casamento, jogou ácido sobre ela no meio da rua. Ela foi submetida a cirurgia plástica por 25 vezes para tentar se recuperar de suas cicatrizes.



Shameem Akhter, 18, posa para uma fotografia em sua casa em Jhang, Paquistão. Shameem foi estuprada por três rapazes que jogaram ácido nela, há três anos atrás. Shameem foi submetida a cirurgia plástica por 10 vezes para tentar se recuperar de suas cicatrizes.



Najaf Sultana, 16, posa para uma fotografia em sua casa em Lahore, Paquistão. Com a idade de cinco anos, Najaf foi queimada pelo pai dela, enquanto ela estava dormindo, aparentemente porque ele não queria ter uma outra menina na família. Como resultado da queima, Najaf ficou cega após ter sido abandonada por seus pais. Ela agora mora com parentes. Ela foi submetida a cirurgia plástica por cerca de 15 vezes para tentar se recuperar de suas cicatrizes.



Shehnaz Usman, 36, posa para uma fotografia em Lahore, Paquistão. Shehnaz foi queimada com ácido por um parente devido a uma disputa familiar há cinco anos. Shehnaz foi submetida a cirurgia plástica por 10 vezes para tentar se recuperar de suas cicatrizes.



Shahnaz Bibi, 35, posa para uma fotografia em Lahore, Paquistão. Dez anos atrás Shahnaz foi queimada com ácido por um parente devido a uma disputa familiar. Ela nunca passou por cirurgia plástica.


Kanwal Kayum, 26, ajusta o véu com que ela posa para uma fotografia em Lahore, Paquistão. Kanwal foi queimada com ácido há um ano, por um rapaz de quem ela rejeitou o pedido casamento. Ela nunca passou por cirurgia plástica.


Munira Asef, 23, posa para uma fotografia em Lahore, Paquistão. Munira foi queimada com ácido, há cinco anos, também por um menino rejeitado por ela. Ela foi submetida a cirurgia plástica 7 vezes para tentar se recuperar de suas cicatrizes.




MEMUNA Khan, 21, posa para uma fotografia em Karachi, no Paquistão. Menuna foi queimada por um grupo de meninos que jogaram ácido sobre ela para resolver uma disputa entre seus familiares e os de Menuna. Ela passou por cirurgia plástica 21 vezes para tentar se recuperar de suas cicatrizes.



Zainab Bibi, 17, ajusta o véu que ela posa para uma fotografia em Islamabad, Paquistão. Zainab foi queimada em seu rosto com ácido jogado por um menino rejeitado, há cinco anos. Ela foi submetida a cirurgia plástica várias vezes para tentar se recuperar de suas cicatrizes.



Naila Farhat, 19, posa para uma fotografia em Islamabad, Paquistão. Naila foi queimada em seu rosto com ácido jogado por um namorado ciumento há tres anos. Ela foi submetida a cirurgia plástica várias vezes para tentar se recuperar de suas cicatrizes.


Saira Liaqat, 26, posa para a câmera, mostrando um retrato de si mesma, antes de ser queimada, em sua casa em Lahore, Paquistão. Quando ela tinha quinze anos, Saira era casada com um parente, que mais tarde, iria atacá-la com ácido depois de ter exigido dela que fosse viver com ele em outra cidade, embora as famílias tivessem concordado que ela não iria acompanhá-lo até que ela terminasse a escola. Saira foi submetida a cirurgia plástica 9 vezes para tentar se recuperar de suas cicatrizes.



Fotografias: Dani Roeder
Resumindo, no Paquistão, qualquer insatisfação por parte dos homens, com relação às mulheres, dá a eles o direito de jogar ácido nos rostos e corpos destas mulheres e nada acontecer com eles, isto é, cometem um crime bárbaro como esse e saem impunes. E percebam que não são só namorados enciumados ou rejeitados, mas ambém PAIS revoltados por terem MAIS uma filha!!
Um terror! Algo quase inacreditável de tão brutal!
Dizem que a idade traz equilíbrio, lucidez e prrincipalmente sabedoria.
Nem sempre!!
O povo paquistanês é antiquissimo e parece que ainda não aprendeu absolutamente nada!!
Que Deus proteja essas e outras milhares de vítimas anônimas perdidas por esse mundo de terror!